×

Atenção

JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com id: 929

Destaques

Destaques (42)

Todos os anos os estados brasileiros realizam campanhas para doação de sangue. Isso por que em épocas como as do feriado de carnaval, a população acaba se ausentando dos hemocentros e os estoques atingem níveis críticos. Todo sangue doado é separado em diferentes componentes (hemácias, plaquetas e plasma) e assim poderá beneficiar mais de um paciente com apenas uma unidade coletada. Os componentes são distribuídos para os hospitais para atender aos casos de emergência e aos pacientes internados.

Independente da região onde você irá doar sangue, alguns cuidados precisam ser seguidos tanto antes, quanto na chegada ao Hemocentro, e após a doação. Veja quais são:

• Levar documento oficial de identidade com foto (identidade, carteira de trabalho, certificado de reservista, carteira do conselho profissional ou carteira nacional de habilitação);
• Estar bem de saúde;
• Ter entre 16 (dos 16 até 18 anos incompletos, apenas com consentimento formal dos responsáveis) e 69 anos;
• Pesar mais de 50 Kg;
• Fazer um repouso mínimo de 6 horas na noite anterior à doação;
• Não tomar bebidas alcoólicas nas 12 horas anteriores;
• Evitar fumar por pelo menos 2 horas antes da doação;
• Evitar alimentos gordurosos nas 3 horas antes da doação;
• As pessoas que exercem profissões como: pilotar avião ou helicóptero, conduzir ônibus ou caminhões de grande porte, subir em andaimes e praticam pára-quedismo ou mergulho, devem interromper estas atividades por 12 horas antes da doação.

SAIBA MAIS SOBRE DOAÇÃO DE SANGUE

02.02 vacina febre amarela susEm janeiro, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) recebeu do Ministério da Saúde 3.434.900 doses de vacina contra a febre amarela. Dessas, 2.036.200 foram enviadas para as regiões de áreas endêmicas do leste do Estado (Governador Valadares, Diamantina, Manhumirim, Teófilo Otoni e Coronel Fabriciano) e as 1.398.700 restantes foram distribuídas para as demais Regionais de Saúde.

Assim que chegam à Rede de Frios da SES-MG, as vacinas são separadas e encaminhadas para as 28 Regionais de Saúde, que por sua vez encaminha de forma gradativa, para os municípios, conforme capacidade de armazenamento de cada cidade. De posse dessas doses, o município define a melhor estratégia dentro da Atenção Primária ou Básica para imunizar a população local por meio do Sistema Único de Saúde (SUS).

Outra ação importante para o monitoramento e controle à doença em Minas Gerais foi a criação da Sala de Situação. Criada por meio de decreto Nº 20, do dia 12 de janeiro de 2017, que fala sobre a situação de emergência em Saúde Pública Regional, a Sala tem como objetivo monitorar as ações administrativas e favorecer o uso de informações para a tomada de decisões, além de contribuir para a transparência acerca das ações desenvolvidas na área da saúde, em regiões com incidência da doença.

CONFIRA OUTRAS INFORMAÇÕES DA FEBRE AMARELA NO ESTADO

cuidados com a mochilaMuitas crianças e adolescentes já voltaram às aulas em todo o país neste início de fevereiro. E como todo começo de uma nova jornada, muitas vezes nos descuidamos em alguns pontos, como no peso das mochilas. A Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, destaca que o peso das mochilas e os danos que seu excesso pode causar na saúde de estudantes é grande.

Segundo a Sociedade de Ortopedia e Traumatologia, o ideal é que os estudantes (crianças e adolescentes) carreguem no máximo até 10% do próprio peso na mochila. Mais do que isso pode acarretar em problemas diversos.

- Só com itens básicos, como cadernos e livros, a mochila do estudante já adquire um bom peso. Então instrua seu filho, amigo estudante a levar o mínimo possível de materiais extras, como objetos eletrônicos, brinquedos e roupas. Esta soma de peso pode ultrapassar o recomendado por fisioterapeutas e ortopedistas.

- A postura correta na infância significa menos problemas na vida adulta. Então esta correção ainda na fase de formação do corpo é um diferencial. 

- O peso acima do ideal das mochilas pode gerar alterações posturais e dores na coluna. Segundo especialistas, 80% das pessoas sofrem ou sofrerão dores na coluna na vida.

 

- Por ser o eixo de sustentação do nosso corpo, a coluna também é responsável pelos movimentos psicomotores, como a escrita e a coordenação motora, essenciais na fase da alfabetização. Com dores nas costas, ombros ou braços, causadas pela postura incorreta, todo o restante do desenvolvimento da criança fica prejudicado.

Qual modelo escolher?

Se ainda não escolheu o modelo da mochila, veja algumas dicas:
- Procure mochilas cujas alças sejam ajustáveis aos ombros e, se possível, também haja uma alça ajustável na altura da cintura.

- Também é importante atentar para que o modelo tenha um acolchoado na região de contato entre alça e costas, o que auxilia a minimizar o atrito e assim evitar lesões.

- Ter proteção na cintura também é importante, pois a posição ideal é o fundo da mochila na altura da lombar e caso ela esteja solta, consequentemente o corpo é puxado para trás pelo peso, fazendo com que os ombros sejam curvados a fim de manter o equilíbrio.

**Foto: Vivo Mais Saudável

amp files 380 20101119164953bc56A campanha do Instituto Nacional de Câncer (INCA) para o Dia Mundial do Câncer, celebrado no próximo 4 de fevereiro, deste ano tem como tema o câncer infanto-juvenil. No Brasil, o câncer é a principal causa de morte por doença em crianças e adolescentes, sendo superada somente pelos acidentes e mortes violentas. Entre 2009 e 2013, o câncer foi responsável por cerca de 12% dos óbitos na faixa de 1 a 14 anos, e 8% de 1 a 19 anos.

No Brasil, foram registradas 2.724 mortes por câncer infanto-juvenil em 2014 (ano mais recente com informações compiladas).

O INCA estima a ocorrência de 12.600 novos casos de câncer na faixa etária de zero a 19 anos em 2017. O chamado câncer infanto-juvenil inclui, na verdade, vários tipos de câncer. As leucemias representam o maior percentual (26%), seguida dos linfomas (14%) e tumores do sistema nervoso central (SNC) (13%).

O Dia Mundial do Câncer é uma iniciativa da UICC, uma organização não governamental que une a comunidade internacional com o objetivo de reduzir a carga global do câncer, para promover uma maior equidade, e para integrar o controle da doença na saúde mundial e na agenda de desenvolvimento.

A campanha do INCA para o Dia Mundial do Câncer 2017 tem como o mote a frase “Nós Podemos Eu Posso", sugerida pela UICC para ser trabalhada entre os anos de biênio 2016 e 2018.

6863Bateu aquela fome no meio da manhã ou da tarde? Esqueça o famoso salgadinho e invista em uma alimentação mais saudável

- Leve sempre com você frutas frescas ou secas, substituindo alimentos processados ou frituras;

- Para melhor conservação, embale as frutas em papel filme ou vasilhames térmicos;

- Na correria do dia a dia, ajuda a nos acostumarmos com este novo padrão de alimentação levar tudo já cortado;

- Não desista da alimentação saudável. Alterne ao longo da semana outros tipos de alimentos, como cereais e iogurtes. Outras duas boas opções são os sanduíches naturais e vitaminas (dê preferência para fazer momentos antes do consumo);

- Apesar de serem atrativos, os salgados eles contém alto valor calórico e grande concentração de sódio podendo provocar um desequilíbrio hídrico no organismo, além de nutrientes de má qualidade como gordura trans, conservantes e aromatizantes;

- No caso dos salgados fritos outro grande risco: podem provocar dificuldade de digestão;

- Refrigerantes também devem ser evitados já que possuem substâncias que atrapalharem a digestão e causam a sensação de inchaço; ingeridas em grandes quantidades podem ser prejudiciais à saúde.

Os serviços de saúde locais poderão oferecer mais tratamentos classificados como práticas integrativas e complementares (PICs) utilizando recursos federais. Foram incluídos, nesta semana, novos procedimentos na lista de práticas integrativas do Sistema Único de Saúde (SUS), que abrange recursos terapêuticos baseados em conhecimentos tradicionais. São sete novos tratamentos: sessão de arteterapia, sessão de meditação, sessão de musicoterapia, tratamento naturopático, sessão de tratamento osteopático, sessão de tratamento quiroprático e sessão de REIKI. A inclusão foi realizada por meio da Portaria N° 145/2017, publicada no Diário Oficial da União.

Os procedimentos já são realizados por vários municípios brasileiros, segundo dados do Programa de Melhoria do Acesso e da Qualidade na Atenção Básica (PMAQ-AB), mas, com as inclusões,o Ministério da Saúde poderá acompanhar as ações realizadas em todo o país e, com essas informações, qualificar as ações de cuidado.

Além das inclusões, foram também renomeados procedimentos já inclusos no rol das PICS. O objetivo é facilitar a identificação, pelos gestores, dos procedimentos nos sistemas de informação do SUS. As novas nomenclaturas são para terapia comunitária, dança circular/biodança, yoga, oficina de massagem/automassagem, sessão de auriculoterapia, sessão de massoterapia, e tratamento termal/crenoterápico.

O Governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), anunciou na tarde desta sexta-feira (13), durante durante o seminário "Minas Gerais contra a febre amarela", em em Teófilo Otoni, a liberação de R$ 26 de milhões com o objetivo de combater a doença em cidades do Vale do Mucuri e Vale do Rio Doce.

Do valor total da verba, R$ 14,4 milhões será repassado para a micro-região de Teófilo Otoni e Governador Valadares. R$ 11,6 milhões será destinado para a Superintendência de Coronel Fabriciano e Manhumirim, que atendem a região de Caratinga.

Em seu discurso, Pimentel pediu para que o dinheiro repassado aos municípios atingidos fosse usado para a ampliação dos horários e dias de vacinação. Na manhã desta sexta-feira o governador decretou situação de emergência em saúde pública nas áreas onde há surto de febre amarela por 180 dias. A Secretaria de Estado de Saúde investiga 133 casos suspeitos da doença e 38 mortes.

Vacinação
Segundo o Ministério da Saúde, a vacina de febre amarela é recomendada para pessoas que moram ou pretendem visitar regiões silvestres, rurais e de mata. A transmissão da doença ocorre pela picada do mosquito Aedes aegypti. A dose pode ser aplicada em crianças a partir dos 9 meses de idade. Para adultos, o reforço deve ser tomado a cada 10 anos. Os principais sintomas são febre, calafrios, dor de cabeça, náuseas e vômitos.

A Secretaria de Estado de Saúde está realizando também a vacinação em domicílio em vários municípios com casos suspeitos de febre amarela. A ação domiciliar está sendo feita primeiramente nas casas onde foram registrados os casos suspeitos e no entorno destas, até que atinja todo o município.

O objetivo é amenizar os sintomas e melhorar a qualidade de vida dos pacientes, além induzir a remissão clínica e a prevenção de recorrências da doença

O Ministério da Saúde acaba de incorporar o medicamento Certolizumabe Pegol para tratamento da Doença de Crohn, no nível moderado a grave, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS). A decisão, publicada no Diário Oficial da União (D.O.U) desta quinta-feira (05), atualiza o Protocolo Clínico de Diretrizes Terapêuticas (PCDT) dessa enfermidade, modernizando os tratamentos médicos com as devidas orientações em relação aos critérios, melhores formas de atuação e dosagem do remédio para cada caso.

A Doença de Crohn é uma doença inflamatória que pode afetar qualquer parte do tubo digestivo, desde a boca até o ânus, e tem origem ainda não conhecida. Pacientes com o estágio moderado a grave usualmente estão com a saúde bastante comprometida e apresentam um ou mais dos seguintes sintomas: febre, perda de peso, dor abdominal acentuada, anemia e diarreia frequente. Com esse novo medicamento, a expectativa é amenizar os sintomas e melhorar a qualidade de vida do portador da doença.

O tratamento costuma ser complexo e pode exigir, em alguns casos, combinação dos medicamentos e procedimentos cirúrgicos, necessários para tratar obstruções, complicações infecciosas e/ou que rejeições ao tratamento medicamentoso. A melhor decisão será definida, após análise médica especializada, de acordo com a localização da doença, o grau de atividade e as possíveis complicações, de forma individualizada e com base na resposta sintomática e tolerância ao tratamento. O objetivo é induzir a remissão clínica e a prevenção de recorrências da doença. O remédio também tem indicação para os pacientes adultos que não tiveram resposta adequada a outros tratamentos

Atualmente, o SUS oferece sete medicamentos para o tratamento da doença de Crohn: ciclosporina, azatriopina, metotrexato, sulfasalazina, mesalazina, infliximabe e adalimumabe. Compete aos gestores estaduais e municipais estruturar a rede assistencial, definir os serviços referenciais e estabelecer os fluxos para o atendimento dos indivíduos com a doença em todas as etapas do tratamento.

SAIBA MAIS, ACESSE AQUI

O Ministério da Saúde vai repassar a todos os municípios brasileiros e ao Distrito Federal R$ 152 milhões extras destinados as ações de combate ao mosquito Aedes aegypti. Para os 853 municípios de Minas Gerais, serão destinados R$ 16,7 milhões ao enfrentamento ao vetor.

O recurso deverá ser liberado aos municípios em duas etapas. Na primeira, R$ 91,2 milhões serão repassados a partir da data da publicação da portaria. Para Minas Gerais, a primeira parcela corresponde a R$ 10 milhões.

O repasse da segunda parcela está condicionado ao cumprimento de alguns critérios, cujas informações deverão ser consolidas pelas Secretarias Estaduais de Saúde e repassadas ao Ministério até o dia 30 de junho de 2017.

Para receberem a segunda parcela de R$ 60,8 milhões, sendo R$ 6,6 milhões para Minas Gerais, os municípios deverão: realizar o Levantamento Rápido de Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa) para os casos de cidades com mais de dois mil imóveis precisarão; já os municípios com menos de 2 mil imóveis deverão realizar o Levantamento de Índice Amostral (LIA); as cidades sem infestação do mosquito deverão realizar monitoramento por ovitrampa ou larvitrampa e, excepcionalmente serão consideradas as metodologias alternativas de levantamento de índices executados pelos municípios, desde que essas informações sejam repassadas ao Governo Federal.

O ano começa com importantes alterações no Calendário Nacional de Vacinação, que têm como objetivo otimizar a cobertura vacinal no país. A ampliação de grupos e faixas etárias fazem parte do Programa Nacional de Imunizações (PNI), conduzido pelo Ministério da Saúde, para 2017.

A partir de agora, uma maior parcela da população ficará mais protegida uma vez que irão receber vacinas como a HPV, meningocócica C, tríplice viral e varicela, além da hepatite A. Nos municípios de Minas Gerais, os postos de saúde já se encontram abastecidos com as doses necessárias para imunizar os grupos prioritários.

Uma das principais mudanças do Calendário de Vacinação é a que diz respeito à vacina HPV quadrivalente que, a partir deste ano, passa a ser disponibilizada, em duas doses, para meninos entre 12 e 13 anos de idade.

Segundo o Ministério da Saúde, a faixa etária do grupo de abrangência será ampliada gradativamente e, até 2020, irá abranger meninos de 9 até 13 anos de idade. As meninas de 9 a 14 anos de idade que ainda não tiveram a oportunidade de serem vacinadas, também podem receber as duas doses.

Confira mais novidades sobre a vacinação em 2017
VACINAÇÃO 2017