Técnica minimamente invasiva melhora tempo de recuperação em cirurgias de hérnia de disco

11 Dez 2017
1635 vezes

Cirurgia Hospital Dilson Godinho 3O estilo de vida cada vez mais corrido, a intensidade do trabalho e das atividades diárias em alguns momentos superam a força do nosso corpo, causando dores que parecem intermináveis, como a dor lombar. Entre outros motivos, ela pode ser decorrente de uma hérnia de disco.

Essa doença é a que mais provoca dores nas costas e alterações de sensibilidade para coxa, perna e pé, podendo lesar de forma definitiva as raízes nervosas que formam o nervo ciático, como explica o médico neurocirurgião Ramon Guerra Barbosa.

“O primeiro passo que ocorre é a degeneração do disco, a parte degenerada do disco acaba comprimindo os nervos e causam dor e perda de força na perna. Entre suas complicações, se não tratada, pode ocorrer a perda de força nos membros e  a dor crônica, pois, ao comprimir nervo, ele pode ser lesado de maneira permanente".

Nova técnica cirúrgica no Dilson Godinho

Segundo Ramon Guerra, são várias as formas de tratamento, entre elas o tratamento cirúrgico.

Ramon

O neurocirurgião, que é especialista em cirurgia de coluna, retornou há cerca de quatro meses de um processo de subespecialização em cirurgia de coluna no Canadá e, desde então, vem aplicando uma técnica inovadora através da cirurgia minimamente invasiva que dá maior precisão à cirurgia, reduz dores pós-operatórias e o tempo de hospitalização do paciente.

Cirurgia Hospital Dilson Godinho 1

"O resultado da cirurgia minimamente invasiva comparado com a cirurgia aberta é similar no longo prazo. Entretanto, o paciente submetido a técnica minimamente invasiva apresenta menor dor pós operatória e infecção, uma vez que o corte é menor e o sangramento é mínimo. Geralmente o paciente tem alta mais precoce podendo ter alta no mesmo dia ou dia seguinte à cirurgia; podendo, dessa maneira, retornar à suas atividades mais rapidamente", explica.

Em Montes Claros, Ramon Guerra, que compõem a equipe do ambulatório de dor, junto ao médico Gustavo Lages, no Hospital Dilson Godinho, já realizou quatro cirurgias com a técnica minimamente invasiva pelo SUS.

A última paciente, uma mulher de 62 anos, operada no fim de novembro, tinha uma hérnia de cerca de 13 milímetros; a incisão feita por Ramon, guiada via raio-x no local exato para o corte, foi de cerca de 20 milímetros. A paciente, operada em 30 minutos, por volta das 14h, foi liberada foi liberada no mesmo dia da cirurgia com melhora completa da dor e sem complicações.

"Muitos pacientes ainda são operados de hérnia de disco pelo método tradicional. É uma doença muito comum e prevalente na sociedade; se as pessoas começarem a entender que existe uma modalidade de tratamento menos invasiva, mais pessoas serão beneficiadas", comenta Ramon, que lembra ainda que a cirurgia tem uma taxa de sucesso de aproximadamente 95% quando bem indicada.

Cirurgia Hospital Dilson Godinho 2

O especialista espera que com vários benefícios associados, tanto aos pacientes quanto ao próprio serviço de saúde, a técnica da cirurgia minimamente invasiva possa ser ainda mais difundida na região. Doença comum e prevalente, ele indica o passo a passo para uma recuperação ideal.

"Apresentou dor na coluna, procure um especialista para que ele possa solicitar exames precisos após fazer um meticuloso exame clínico e neurológico. Isso faz com que possamos traçar um plano terapêutico individualizado, com tratamentos conservadores como analgésicos, fisioterapia e bloqueios, bem como selecionar melhor os casos para tratamento cirúrgico com técnicas menos invasivas nos casos que forem necessários", finaliza.

Última modificação em Terça, 12 Dezembro 2017 10:52
Avalie este item
(1 Voto)